In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player

Powered by RS Web Solutions

Entrevista: Budai e o Meio Ambiente: Um trabalho de Conscientização

Sabemos que a questão ambiental tem sido tema nos veículos de comunicação e redes sociais em todo o mundo, e que aos poucos a sociedade começa a interessar-se pelo assunto, embora ainda a passos lentos. Conscientizar pessoas não é fácil, pois implica mudar atitudes e costumes e, mexer com estes fatores humanos é correr riscos de interpretações erradas e muitas caras e bocas. Mas se cada um fizer a sua parte o planeta agradecerá.

A Budai leva o assunto tão a sério que tem trabalhado dia e noite em cima deste tema através de mudanças internas que fazem toda a diferença no resultado final. Pequenos gestos como jogar os copos plásticos, papéis e lixo comum em locais indicados, são sinônimos de cidadania e respeito com o próximo e faz toda a diferença na hora da coleta, pois além de não haver perca de tempo com a separação destes itens, ganha-se tempo com outras ações de melhorias internas e externas.

E já que o assunto é sustentabilidade, nesta edição entrevistamos a colaboradora Tassiana Vecchio, Coordenadora de Meio Ambiente da Budai que falará sobre o trabalho da organização para preservar o meio ambiente através de ações responsáveis.

Budai News: Tassiana, como começou o trabalho de preservação ambiental na Budai e em que momento ele ganhou forças?

Tassiana Vecchio: A BUDAI sempre se preocupou com a preservação do meio ambiente no que diz respeito ao gerenciamento dos resíduos e documentações necessárias. Em 1996 foi implantado o Sistema de Gestão da Qualidade, e em 2006 com a implantação da ISO/TS 16949 que possui Requisitos de Qualidade específicos para produção automotiva, o caminho de padronização foi aberto e foram criados procedimentos ambientais, despertando cada vez mais para estas questões, junto com a exigência no mundo automotivo. Nesse momento de crescimento na gestão da empresa, começou a traçar a implantação da ISO 14001, o departamento de Meio Ambiente foi reestruturado, a empresa arregaçou as mangas e em sete meses o sistema estava implantado e a empresa certificada.

BN: Explique qual o processo percorrido para chegar à Certificação ISO 14001.

TVR: Primeiro foi criado o Comitê de Meio Ambiente, constituído com muita seriedade e vontade de mudança, que contava com a participação de um colaborador por setor. Nas reuniões, eram discutidos os problemas e soluções com definição de responsabilidades e prazo, e também as ações mais importantes em situações que era necessário partir do zero. Iniciamos o treinamento de Conscientização Ambiental para 100% da empresa e apresentamos pontos chaves desse projeto de forma objetiva para que todos pudessem entender o papel de cada um no sistema de Gestão Ambiental. A partir daí, veio a certificação e com ela um aumento da visão e percepção dos colaboradores para as atividades de melhorias. Sem dúvida, conseguir a certificação ambiental é um processo de transformação total e a mudança é significativamente notória, e pode até ser considerada uma ferramenta de motivação na empresa por transformar o ambiente de trabalho.

BN: Foi realizado um trabalho de readaptação na organização, que tem se empenhado a ensinar seus colaboradores a levantar a bandeira da conscientização. Mas como isso tem sido visto por eles?

TVR: No início da implantação é normal encontrar certa resistência, até porque a 14.001 propõe mudanças em todos os aspectos. Aos poucos as pessoas vão incorporando a mensagem e inconscientemente já estão pensando em como ajudar a transformar e em casos de reclamações pontuais ou sugestões estamos disponíveis a ouvir, porque muitas vezes vem para agregar e pode até propor soluções mais viáveis.

BN: Os resíduos são descartados de maneira correta? Como é administrado e realizado este processo?

TVR: Para que todos os resíduos sejam controlados foi construída a Central de Resíduos em que trabalham os monitores ambientais que são os grandes responsáveis pelo monitoramento, registro e encaminhamento dos resíduos para as empresas de tratamento e destinação final, que acontece através de reaproveitamento, reciclagem, aterro, co-processamento, incineração, tratamento físico-químico, descaracterização, e fossa séptica, todos acompanhados das documentações necessárias, e encaminhados para empresas autorizadas pelo órgão ambiental.

BN: A Budai tem investido em cursos para a área de meio ambiente??

TVR: Sim, focamos inicialmente na profissionalização dos monitores ambientais. Definimos alguns cursos que são importantes como “Aspecto e Impacto Ambiental”, “Legislação Ambiental” e recentemente “PPRPS - Programa de Prevenção de Riscos para Prensas e Similares” com a modalidade para operador, treinamento que é obrigatório dentro da Legislação de Segurança do Trabalho para operação da prensa enfardadeira. Surgem treinamentos específicos para determinada área, como foi no de “Manuseio e Armazenamento de Cilindros”, onde a empresa White Martins passou as informações de segurança no manuseio de cilindros de dióxido de carbono e oxi-acetileno, de forma a prevenir até uma situação de acidente ambiental com a possibilidade de uma explosão.  O próximo passo é investir em treinamentos para a equipe do Comitê de Meio Ambiente, que é nosso braço direito na multiplicação em massa da informação, e treinamentos internos através de reciclagem da 14.001 para os gestores se manterem orientados no acompanhamento de seus colaboradores.

BN: Há investimento em novos recursos para alcançar a melhoria contínua no sistema de gestão ambiental?

TVR: Sim, começando com o treinamento que é a sustentação para que o sistema crie raízes com mais facilidade. Houve investimento também na aquisição de um software de controle de Legislação Ambiental, Saúde e Segurança do Trabalho, cuja empresa contratada possui equipe técnica e jurídica que identifica e interpreta as exigências das leis, e que alimentamos com as informações e evidências atendendo a legislação aplicável à organização. Fizemos um projeto de redução de água em 2012, e no início de 2013 serão instalados dispositivos de redução em todos os banheiros, como torneiras com sensor e arejadores para diminuir a quantidade de água evitando desperdícios e dispositivo para vaso sanitário com duas opções de acionamento. A previsão é de 23% de redução mensal no consumo de água e o tempo de amortização de seis meses. 

Também adquirimos uma Prensa Enfardadeira Vertical de compactação de resíduo reciclável. Com ela não é necessário o transporte interno de empilhadeiras, nem a compactação manual dos resíduos nos bag’s, estes que ocupavam espaço dentro e fora da central. A prensa Modelo PEH-1010 SS da Linha Segurança NR-12, tem capacidade de produção diária de 02 toneladas (num turno de 8h - aproximadamente 04 fardos/hora) e atende às normas PPRPS, NR-12 / NT-16 e NR-10. O equipamento pesa 520 kg, tem reservatório com capacidade de 30 litros e ciclo de prensagem de 30 segundos, além de sistemas inteligentes como porta de segurança auxiliar com sistema de sensores elétricos, atuador hidráulico com sensor de fim de curso, motor elétrico com dispositivo de segurança, Led indicador de porta aberta, Botoeira Bimanual com controle de simultaneidade 0,5s, dentre outros. Ganhamos espaço com o armazenamento que hoje é realizado em fardos, excelente solução para uma organização que está fervendo e se expandindo.