In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player

Powered by RS Web Solutions

Entrevista com Bianca Vilela

alt

Graduada em Educação Física pela Unesp, com Pós Graduação, Especialização e Mestrado em Fisiologia do Exercício pela Unifesp/Escola Paulista de Medicina, Bianca Vilela, a convite da Diretoria começou o projeto de Ginástica Laboral (GL) na Budai. Atuante há mais de quinze anos na área com projetos voltados ao bem estar e saúde, tem vasta experiência, já publicou dezenas de artigos e seu foco concentra-se em assessoria esportiva e qualidade de vida.

Atualmente escreve para as revistas Women’s Health (Saúde da Mulher, em português), Boa Forma, Elle, Claudia, Maxima, Nova, Uma, Capricho e Viver Saúde, todas da Editora Abril, e presta consultoria a emissoras de televisão como Bandeirantes, Discovery, SBT, Record e Rede TV. Além destes, contam com os serviços da empresa de Bianca Vilela – Petrobrás, Bardahl, Tegma Logística, Luft Logística, dentre outras.

Em se tratando dos programas aplicados nas Organizações, todos são desenvolvidos de forma customizada e de acordo com o perfil de atuação para suprir as necessidades dos colaboradores e chegar ao resultado planejado. Sua equipe conta com profissionais qualificados que trabalham de acordo com as exigências e programas elaborados para manter a qualidade e cuidar da saúde de seus clientes. Em entrevista à Budai News, falou um pouco mais sobre o projeto. Confira.

Budai News - O que é Ginástica Laboral e onde surgiu?

Bianca Vilela - A Ginástica Laboral (GL) é um programa de qualidade de vida, realizado durante o expediente de trabalho por profissionais específicos da área de Educação Física e da Saúde, voltado aos funcionários e colaboradores da empresa. O Exercício físico durante o expediente tem a importante tarefa de prevenção das doenças ocupacionais, além de combater o sedentarismo. Existem relatos sobre o início da prática em 1925 na Polônia, apenas como uma ginástica de pausa para os operários da indústria de base. No Japão, esta atividade era realizada pelos funcionários dos Correios por volta de 1928, já com uma proposta diferente e mais elaborada, porém, somente após a Segunda Guerra Mundial esta atividade se espalhou por todo país.

BN - Como ela pode ser classificada e aplicada?

BV - A classificação mais comum prevê a prática da GL em três momentos:

1) Período Preparatório: Realizado no início do expediente, após o funcionário ter feito o rápido ritual de entrada, fazendo com que o trabalhador desperte, além de tornar o ambiente descontraído. A GL preparatória visa o aquecimento, a preparação da musculatura e das articulações, o que previne acidentes, distensões musculares e doenças ocupacionais.

2) Período Compensatório ou de Pausa: Realizado no meio do expediente. É realizado para impedir vícios posturais do ambiente de trabalho e para isso são utilizados exercícios físicos que trabalham as musculaturas pouco solicitadas e relaxam aquelas que trabalham em demasia. Esta pausa objetiva a prevenção da fadiga, de acordo com as características do ambiente de trabalho.

3) Período Relaxante: Realizado no fim do expediente. Os exercícios de alongamento para os músculos mais exigidos durante o trabalho e movimentos de relaxamento são os mais indicados para o sucesso deste período. Promove intenso bem estar, de forma a minimizar o cansaço cotidiano e preparar o indivíduo para que no dia seguinte, ele esteja bem disposto a encarar nova jornada.

BN - Como tem sido a procura das Organizações quando o assunto é qualidade de vida dos colaboradores? Sabemos que grandes empresas nacionais e multinacionais têm investido nisso, mas, e as pequenas e médias empresas, também tem se preocupado?

BV - Sim, com toda certeza! As grandes empresas e multinacionais, até mesmo por uma questão orçamentária e também por terem unidades fora do país, em locais conhecidos como "primeiro mundo" foram as pioneiras. Entretanto, como os resultados são extremamente benéficos, empresas pequenas e médias também aos poucos vêm aderindo ao projeto.

BN - Junto com a GL, você trouxe um projeto voltado à qualidade de vida. O que é este projeto, qual a sua finalidade e expectativas?

BV - Na verdade foi implantado na Budai algo maior, denominado Programa de Educação Postural, no qual conta com a importante ferramenta, a Ginástica Laboral. Além disso, teremos avaliação física e postural, blitz ergonômica para correção de vícios posturais em situações cotidianas de trabalho e confecção de manuais ilustrativos posturais. Quer dizer, contaremos com diversas opções para a finalidade de melhorar a qualidade de vida de todos.

BN - Sabemos que a GL proporciona saúde e bem estar, mas que ainda há falta de informação sobre todos os seus benefícios. Abrir a mente das pessoas é um desafio. Como você quebra esses tabus em relação a isso?

BV - O apoio de todos, ou seja, dos colaboradores e dos gestores é fundamental para o sucesso do programa. A Organização Mundial de Saúde preconiza que com 30 minutos por dia de atividade física, o indivíduo deixa de ser sedentário. Através da GL (Ginástica Laboral) conseguimos a metade disso, fica fácil completar os outros quinze através das simples tarefas do dia a dia (como, por exemplo, andar de bicicleta, caminhada, subir escadas). Além disso, as aulas proporcionam fortalecimento e alongamento das musculaturas mais solicitadas e desta forma reduzimos consideravelmente as chances de desenvolver doenças osteomusculares. Temos que acreditar e valorizar um projeto deste porte, afinal os benefícios são facilmente observados e todos tem muito a ganhar!

BN - As LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) depois de diagnosticados por médicos precisam de tratamento específico para a total recuperação? Fale um pouco sobre cada um deles, por favor.

BV - Sim, é fundamental que haja o diagnóstico médico e que o indivíduo realize o tratamento de forma correta. De forma geral o tratamento mais comum é a fisioterapia, a qual desenvolverá o processo de remoção da dor (analgesia) e da inflamação. Esta situação é sem dúvida, importante, contudo o que fará com que este indivíduo não mais tenha lesões recorrentes é um programa físico de alongamento e fortalecimento muscular. Músculos mais fortes e mais flexíveis apresentam menos tendência de se lesionar, daí a grande importância da GL.

BN - Para aquelas pessoas que não praticam nenhuma atividade física, este processo de mudanças pode ser um pouco mais lento. Em quanto tempo, após o início do programa, este público começa a perceber a melhoria na saúde, postura, diminuição das dores no corpo, dentre outros?

BV - Dentro de 30 dias, maior disposição, melhor flexibilidade e principalmente bem estar, são os primeiros sinais. Com aproximadamente 90 dias, aumento no nível de força muscular e até mesmo redução de gordura corporal começam a ser observados.

BN - Como são elaborados os exercícios para os portadores de necessidades especiais? Eles são aplicados separadamente ou junto com os outros colaboradores? Há um profissional disponível para orientá-los?

BV - Os professores estão preparados para situações especiais, nossas aulas utilizam o método de inclusão, de forma que todos participam em conjunto. Temos, por exemplo, alguns colaboradores com redução auditiva, durante a aula os professores demonstram o exercício proposto e sempre que necessário realizam as correções e auxílio individual. Pessoas com menor habilidade motora, devido à amputações, realizam a atividade sempre de acordo com sua capacidade, respeitando seus limites.

BN - Como você sentiu a aceitação dos colaboradores da Budai?

BV - A aceitação foi excelente, tanto dos colaboradores de forma geral como também dos gestores. Estamos muito felizes com a receptividade!